Queens of noise, coletânea que abraça o lado feminino do rock nacional

Com a evolução das tecnologias e o advento da internet, muitos passaram a ter voz. Das conversas restritas a grupos de amigos isolados em diversas partes do mundo, plataformas como wordpress, blogger e youtube proporcionaram que esses grupos se expandissem e passassem a divulgar suas ideologias, crenças e formas de protestos, podendo assim ampliar a discussão entre esses mesmos grupos e até mesmo atingir vários outros grupos com seus conteúdos. São vários os blogs, sites, vlogers e canais no youtube a representar alguma ideologia que repercute discussões de âmbito social.

Um desses blogs, o “Bull in the Heather”, abraçou a causa do “feminismo”, e aqui eu coloco entre aspas, pois, não sei exatamente se apoiam o movimento feminista, mas, a temática central de suas postagens são a presença das mulheres, notadamente na música.

É assim que no início do ano lançam uma coletânea dividida em 2 volumes, cujo foco principal é a presença de pelo menos uma mulher em cada banda integrande da compilação. São ao todo 34 bandas nacionais, sendo que os álbuns são divididos com o título de “Iara” e “Nina”. Os nomes fazem homenagens a figuras índigenas brasileiras. Nina significando menina, graciosa e protetora da fertilidade e mares, já Iara, deusa das águas, mãe d’água e lenda da mulher que mora no fundo dos rios.

Eu não vou fazer uma resenha música a música, para o texto não ficar muito longo, mas todas as bandas são boas, alguns gêneros eu não gosto muito, não tenho o hábito de ouvir com frequência, mas acredito pelo que acompanho de música, que as pessoas que curtem, vão gostar.

“Nina” é a parte mais variada, diversos gêneros musicais e influências se misturam nas 20 bandas presentes. Indie, alternativo, rock de garagem, new wave, pop-rock, tropicalista, eletrônico, surf music e influências psicodélicas fazem deste volume algo mais interessante, pelo menos ao meu ouvido, gostei mais da variedade apresentada aqui. Até mesmo porque os gêneros que eu não gosto estão mais presentes no outro disco.

Algumas bandas já foram apresentadas aqui, mas meu destaque fica por conta de “Angoulême” da Metá Metá, “Princesa” da Carne Seca, que tem uma pegada psicodélica, “Bunch of Lies” da BRVNKS, com seu alternative rock de contornos garage rock e “Electrosphere” da Firefriend, que me lembrou umas loucuras setentistas do krautrock.

As bandas presentes são:

Autoramas / Baleia / BRVNKS / Camila Garófalo / Carne Doce / Chico de Barro / Def / Firefriend / Footstep Surf Music Band / Hierofante Púrpura / In Venus / Lari Pádua / Letty / Metá Metá / PAPISA / Quarup / Sammliz / The Shorts / Ventre / Xôõ

“Iara” eu achei um pouco mais cansativo ouvir, possivelmente uma questão pessoal, tem alguns tipos de vocais que eu particularmente acho que não combinam muito com o som ou a sonoridade sendo cantada com vocal feminino, mas não compromete a qualidade da coletânea, como eu disse é uma questão de gosto pessoal. É importante que se ouça e tire as proprias conclusões, já que cada um tem um gosto particular para música. Aqui o peso e o metal se fazem mais presente, e assim como “Nina” são vários gêneros e influências que vão do death metal, hardcore, heavy metal, thrash, punk, hard rock, música medieval e pagan-folk metal.

Os destaques ficam por conta de “Ipredu” da Arandu Arakuaa, “Por la Libertad” da She Hoos Go, “Douce Dame Jolie (Guillaume de Machaut c. 1300 -1377)” da Duo Arcanum e “God Save the Rock’n’Roll” da Electric Madness.

As bandas são:

Aline Dríade / Anfear / Arandu Arakuaa / BrightStorm  / Chancho / Dixie Heaven / Duo Arcanum / Electric Madness / Hatefulmurder / Indiscipline / Manger Cadavre? / Scatha / She Hoos Go / Sixxen  

O projeto foi desenvolvido em parceria com a Efusiva e PWR Records, os dois com o foco de fortalecer a produção musical feminina.

Da para curtir e conhecer muito da produção nacional e quem curte, compartilhe, divulgue e ajude a fortalecer a música e as bandas nacionais. Os links e maiores informações estão presentes nos links abaixo.

Site: Bull in the Heather
Site: Queen of Noise
Efusiva: Facebook
PWR Records: Facebook

Um texto de Igor C. Bersan

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s