Gélidas paisagens

Falar de dark ambient/darkwave é uma tarefa árdua, primeiro porque é uma música difícil de classificar, depois porque não tem muita variação na instrumentação e por fim é uma música para os sentidos, para a produção de imagens. Literalmente tem que viajar por mundos ao ouvir.

Como eu não sou músico, isso se torna ainda mais complicado, mas eu acho que seria muito chato ficar falando de termos técnicos, sendo que nem todo mundo que lê o blog os entende. O objetivo é compartilhar do que eu conheço, do que descubro e o que acho válido dentro da proposta do blog.

Em 2001, quando do lançamento do álbum “The Ominous in Silence” eu conheci o Northaunt, nesta época trabalhava na extinta Demise Records. Gravadora/Loja de CD’s de metal e como o metal é meio que um irmão do gênero darkwave/dark ambient, interagem bem um com o outro , principalmente o black metal.

O que dizer do Northaunt? É aquele tipo de música que traz uma atmosfera opressiva, fria e capaz de produzir imagens mentais intensas, para aqueles que possuem essa capacidade abstrativa claro, caso contrário irão pelo caminho do pensamento de que a música é chata e irritante, pois aqui o que realmente conta é imaginar a cena, experienciar e vivenciar a música.

Particularmente o Northaunt me leva muito pelas paisagens geladas, escuras e de pouca claridade das regiões norte da Europa, como no caso a cidade de origem da banda, a Noruega. Predominantemente o gênero explora muito os sintetizadores e aqui não é diferente, em “ISITD I-II” tem um elemento que me lembra um vento frio e cortante ao decorrer do disco quase todo, um vento que talvez corra na paisagem da capa do álbum. Antes havia a presença de vocais, mas neste disco não tem, é basicamente a mesma fórmula, como se estivéssemos atravessando a paisagem e ela fosse longa, fria, mas ao mesmo tempo agradável, onde podemos ter um contato mais profundo com nós mesmos, que pudesse conversar com a minha própria consciência neste caminhar. O som que lembra o vento de certa forma apazigua o espírito, o frio é revigorante e a um certo conforto nesta longa jornada. E possível se perder por ela, sentar e deixar que o tempo corra sem um fim definido, eterno, longe dos pensamentos ordinários, longe mesmo de qualquer pensamento, somente existindo no momento e se integrando a paisagem.

Um disco muito bom como sempre, Northaunt é um dos projetos musicais de Dark Ambient que eu mais gosto. Recomendo ouvirem e procurarem os discos anteriores.

Não achei muita coisa deste novo álbum no youtube, então irei colocar aqui também uma música de cada álbum.

Northaunt – Night Alone (disco Horizons)

Northaunt – In the Rain (disco The Ominous in Silence)

Northaunt – Kapp Farvel (disco Barren Land)

Facebook

Por Igor C. Bersan

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s